Traducción de eslóganes

Cuando veía el cartel del PSOE con la foto de Pedro Sánchez y el eslogan «Haz que pase» me quedaba pensando en posibles traducciones al portugués. Algunas posibilidades: «Faça com que aconteça» y «Faça acontecer». La traducción del verbo pasar como «passar» (en portugués) no es posible aquí, porque transmitiría lo contrario de lo que se pretendía con el mensaje. En portugués, «Faça com que passe» sería interpretado —casi seguro— como «haz que se acabe», es decir, el partido se daría un tiro en el pie.

También en español este eslogan puede tener doble sentido, por las distintas acepciones del verbo pasar en la lengua de Cervantes. Sin embargo, creo que la interpretación contraria aquí dependería de la orientación política del receptor, y eso ya es otra historia.

Imagen: 20minutos.es

Espanhol x português: regência diferente (3)

Esperar a alguien (es) x esperar alguém (pt): em espanhol, “esperamos a alguien”. Já em português, esperamos alguém, ou por alguém, neste caso com certa carga afetiva: “esperei por ela”. Fontes: El libro del español correcto (Instituto Cervantes) e Dicionário de regência verbal (Celso Luft).

Espanhol x português: regência diferente (2)

Se parece a (es) x se parece com (pt): embora em português também seja possível dizer “ele se parece ao pai”, o mais comum é ouvirmos “ele (se) parece com o pai”. Já no espanhol, o mais comum é “se parece a”: “La música que más se parece al flamenco es la clásica” (Fonte: ABCdesevilla).

Regência: um dos caminhos para evitar o “portunhol” (1)

Uma diferença sutil mas importante entre o português e o espanhol é a diferença de regência, tanto verbal como nominal. Muitas vezes percebo que o falante de espanhol é português ou brasileiro (um deles sendo eu mesmo) pela influência da regência do idioma nativo, e vice-versa.
 
Hoje quero inaugurar uma série de pequenas postagens sobre essas diferenças. Vou utilizar, entre parênteses, as siglas (es) para espanhol e (pt) para português, e exemplificar com passagens de jornais e livros. Entre minhas obras de referência estarão o Dicionário de regência verbal, de Celso Luft, e El libro del español correcto, do Instituto Cervantes.
 
1. Diferente a (es) x diferente de (pt)
 
O espanhol permite a regência “diferente a”. Já em português, dizemos sobretudo “diferente de”:
 
(es) “Boston es diferente a las ciudades americanas…” (jornal ABC), “La Italia de hace treinta años es muy diferente a la actual…” (jornal El País);
 
(pt) “— Dei uma caminhada grande; mas, sim, senhor, isto aqui é bonito, é curioso; aquelas praias, aquelas ruas, é diferente dos outros bairros.” (Quincas Borba, de Machado de Assis), “Descobrimos outro Brasil, tão diferente do Amazonas (…)” (Um solitário à espreita, de Milton Hatoum).

 

“Entre Pinto y Valdemoro”

Vem chegando o verão na Europa, e o assunto quebra-gelo costuma ser as férias. Outro dia, disse a um aluno que ainda não tinha decidido aonde iria, e ele: “Estás entre Pinto y Valdemoro, ¿no?”

Gostei da expressão e fui pesquisar. Pinto e Valdemoro são duas cidades perto de Madri, separadas por um riacho. E a expressão pode se referir a duas situações: a primeira, de indecisão; a segunda, de embriaguez.

Eu me encontrava na primeira situação. Em bom português, indeciso, sem saber para que lado ir, irresoluto. Mas sei que nessas horas é melhor não pensar muito porque “de pensar morreu um burro”.

Deixo aqui um link para o site da Fundación de la Lengua Española, para vocês saberem mais sobre a expressão “entre Pinto y Valdemoro”.

Até a próxima!

 

Inauguração do blog

book_image

Depois de aproximadamente 3 anos publicando conteúdo relacionado com o ofício de tradutor na minha página do Facebook, pensei em migrar para o meu próprio site. É o que estou fazendo hoje. Com esta primeira postagem, fica inaugurado este blog, onde continuarei publicando artigos sobre tradução de inglês, espanhol e francês para português. Também darei continuidade à série sobre diferenças de regência entre português e espanhol, sempre tentando fazer a conexão entre a Espanha (onde moro) e o Brasil. Sejam todos bem-vindos!